domingo, junho 10, 2007

one day in sunny June.


Sentei-me debaixo do sol, óculos escuros e livro. Não do sol da praia. Do sol do campo, daquele que queima sem ser insuportável. Na quietude da pradaria do sul perdido deitei-me e esperei. Esperei que os pensamentos me assaltassem, que a minha vida me passasse trinta vezes à frente e fosse quadrilhada outras trinta e tomadas resoluções nunca cumpridas que fazemos para acalmar o ego desconfiado da decadência.
Dei por mim a pensar em ti. Dos anos que passaram desde a ultima vez que nos tocámos. Dos milénios que passaram desde que caiu o Carmo e a Trindade atrás do Carmo naquela parede de rua estreita. O tempo que passou desde cartões de credito estoirados e saldo bancário no vermelho. E dou por mim a suspirar. É engraçado como o tempo suaviza as coisas, levanta de mansinho e leva para o recanto do cérebro onde acumulamos as folhas soltas, aquelas em que nunca tocamos e que se enchem de pó, e nos fazem espirrar quando nelas pegamos. Os tempos de cólera deram lugar à indiferença, a implacabilidade deu lugar à indiferença. Indiferença profunda. Tão profunda que já nem possibilitas um texto poético, calejado e metafórico, a comparar-te a demónios e Heras malvadas. Já só mereces esta prosa, sem sal, corrida, sem emoção ou ardor. E é triste, que não há nada melhor que ter um ódio de estimação. Odiar tão visceralmente ao ponto de sentir o sangue a correr. Já não és uma folha solta, levaste um carimbo em cima, castanho e comido pelo tempo, e foste despachada para o arquivo. E agora só me vou lembrar de ti cada vez que me puser ao sol e começar a pensar na vida. Se tanto. Porque daqui a dois minutos já vou estar a pensar que devia vir morar para o campo e que tenho que ler o livro que tenho na mão, que ele não é meu e a dona há-de dar pela falta dele.
Que pena.

3 comentários:

sexynurses disse...

Pois e... por vezes as simples coisas da vida lembram nos grandes momentos de vidas passadas e de pessoas q o tempo vai deixando apenas uma leve memorias do que ja la vai...

Mais um post muito bom...
Beijo
Joana

P.S. Quando quiseres passa pelo meu blog. *

Cate disse...

Casa comigo, Carvalheda.

disse...

É assim... AMEI!!!